Já pensou em virar um microempreendedor?

Com o crise econômica que já vivemos há alguns anos, milhões de pessoas ficaram desempregadas e procuram formas de ganhar dinheiro diante de um mercado de trabalho que não dá sinais de reação.

A alternativa para muitos – e que acaba se tornando permanente – e criar negócios próprios, com as suas habilidades e alguma reserva. Alguns são muito simples e dão um retorno que ajuda a pagar as despesas familiares.

Mas um fator em comum entre vários destes pequenos investidores é a informalidade: a burocracia e o custo para abrir um negócio e a alta carga tributária inviabilizam ao pequeno negócio tornar-se uma empresa regular.

Por este motivo, foi criado o programa Microempreendedor Individual, o MEI. Já pensou em virar um microempreendedor? Então veja neste artigo como o MEI pode melhorar sua vida num negócio próprio.

O que é o Microempreendedor Individual MEI?

É uma forma de enquadramento jurídico e tributário para pessoas que querem regularizar seu negócio e sair da informalidade, gerando um CNPJ.

Mais do que se tornar uma fonte de arrecadação compulsória para o Governo, o MEI traz algumas vantagens e benefícios para o microempreendedor.

Quais as vantagens e benefícios de ser um Microempreendedor Individual?

Sair da informalidade é por si só uma primeira e grande vantagem. Você passa a fazer parte de uma massa de empresas dos mais variados tamanhos e pode apresentar-se como um dono real do negócio, sem preocupações com fiscalizações neste sentido.

Mas existem mais algumas vantagens e benefícios:

Regularização Imediata

Para tornar-me microempreendedor individual, é só acessar o site do Portal do Empreendedor e informar os dados pedidos. A liberação do CNPJ é imediata, e com ele você poderá emitir notas fiscais e participar de concorrências de venda, entre outras coisas.

Emissão de Nota Fiscal

Esse é um grande benefício em relação a quem está na informalidade. Muitas empresas exigem emissão de nota fiscal para fazer seus pagamentos, além do Governo também – prefeituras e estados.

A emissão aumenta a sua base de clientes e coloca seu negócio em igualdade fiscal com os pequenos e micro negócios existentes.

Acesso a Linhas de Crédito

Como Pessoa Jurídica, seu negócio pode candidatar-se a empréstimos bancários privados e públicos que se enquadrem no seu setor e no faturamento.

É importante lembrar que emitindo notas fiscais, você gera informação oficial de faturamento, que é uma das informações que os bancos usam para conceder o crédito, o que não é possível estando na informalidade.

Possibilidade de Contratação de Pessoal

A legislação atual permite a contratação de um empregado, pelo salário-mínimo ou valo superior. Mas deverão ser pagos os direitos trabalhistas que este empregado tem, independente do regime fiscal da sua empresa.

Carga Tributária Baixa

O microempreendedor individual tem isenção de IRPJ, IPI, CSLL, PIS, COFINS e ISS patronal, além de pagar apenas R$1,00 de ICMS e R$5,00 de ISS.

O maior peso está no INSS individual, de 11% sobre o salário-mínimo, o mesmo valor que é pago pelos pequenos empreendedores do Simples.

Pouca Burocracia

O microempreendedor individual só tem uma obrigação legal, que é de apresentar a Declaração Anual do Simples Nacional com a comprovação do seu faturamento.

Satisfação Pessoal e Valorização

Este sem dúvida é o maior benefício: você se torna parte oficial do mundo dos negócios, onde você poderá ser contratado por empresas nas mesmas bases dos demais empreendedores.

Isto aumenta suas possibilidades, motiva e ajuda você a crescer como empreendedor.

 

Veja afundo como é uma abertura de empresa antes de tomar essa grande decisão.

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *