Quer vender produtos perecíveis na internet? Veja as nossas recomendações!

Para vendermos pela Internet, cada produto tem as suas muitas características de acondicionamento no estoque, medidas de venda, embalagens especiais e principalmente o transporte para entrega em revendedores ou clientes. E independem da molde de negócio adotado – vendas físicas e/ou virtuais.

Quando vendemos pela Internet, muitos cuidados são redobrados, como o transporte – sinistros, roubos – e a documentação fiscal – erros de emissão, dados incorretos. Afinal, o cliente apenas aguarda a chegada dos produtos e não tem – na grande maioria – envolvimento com estas questões.

E quando são produtos perecíveis à venda no mercado digital, os cuidados são ainda maiores, são itens que precisam chegar no cliente nas mesmas condições ideais de consumo que tem quando estão no nosso estoque.

Você Quer vender produtos perecíveis na internet? Veja as nossas recomendações! Acreditamos que as vendas podem ser mais tranquilas e eficientes com essa ajuda.

Recomendação 1: muita atenção com as legislações específicas

Esse sem dúvida é o primeiro para vender a maioria dos produtos, independente das suas características. Afinal, o Brasil tem uma legislação complexa com os impostos e muitos itens, especialmente os perecíveis, tem leis específicas, que tratam de vários aspectos deles.

Muitos produtos, como alguns laticínios por exemplo, precisam de um selo do Ministério da Agricultura para serem vendidos tanto em lojas quanto na internet. Outros produtos necessitam de embalagens que estejam em conformidade com exigências da Vigilância Sanitária, como os pescados.

Se pensarmos nas características de duração e risco de contaminação, são exigências necessárias e saudáveis para todos, quem vende e quem vai consumir, principalmente se for esperar a entrega por dias e até semanas.

Todo cuidado é pouco, e o ideal antes de começar a vender é buscar a informação segura sobre tudo que o Governo, em diversos órgãos, exige para venda de produtos controle de qualidade. Os sites e escritórios o Ministério da Agricultura e da Anvisa pode orientar a respeito ou encaminhar.

Recomendação 2: não inicie seu negócio sem as licenças e alvarás

Todo negócio digital, principalmente ligado a venda de produtos, tem a sua base física com as instalações de produção, estocagem, logística e administração. E necessitam dos alvarás e licenças para poder funcionar – literalmente abrir as portas sem o risco de ser fiscalizado e multado, ou pior, ter a atividade suspensa.

Aqui falamos desde os documentos básicos – de uso do imóvel para a atividade, autorização para emitir notas fiscais ou ter instalações de cozinha – até os mais específicos – por exemplo, autorização para produzir alimentos, tendo infraestrutura hídrica e de eliminação de resíduos.

Recomendação 3: sua estrutura física deve estar adequada ao seu negócio

Aqui a questão vai além das exigências da Vigilância Sanitária e outras fiscalizações para produzirmos e estocarmos, que até nos impede de funcionar.

Comercializar produtos perecíveis exige equipamentos de qualidade e que tenham manutenção constante, preventiva principalmente, para evitar que você fique sem eles, perca mercadorias ou tenha de gastar para estocar em outro lugar ou alugar máquinas.

Outro aspecto importante são as instalações hidráulicas e elétricas em perfeitas condições de uso. Neste ponto, recomenda-se o cuidado com as voltagens dos equipamentos e se há sobrecarga em pontos. Problemas como esse podem colocar estoques a perder.

Recomendação 4: conheça bem os produtos que vai vender

Até agora falamos de muitas exigências que a venda de cada produto exige, mas você conhece profundamente o que quer vender?

Por exemplo, se falarmos em pescados. Por mais que estejamos em dia com as obrigações legais e de produção, precisamos entender quais são os mais adequados para cada região, qual a velocidade de venda e giro de estoque que precisamos para cada um, os que podem ser congelados, os que perdem valor se congelarmos.

Enfim, entender se o produto que vendemos terá um retorno compatível com o investimento e a complexidade que ele exigirá.

Por outro lado, existem produtos, como suplementos nutricionais, grãos, rações animais e produtos naturais, como o chimarrão, que é um bom produto para ser vendido pela internet pois ele tem uma durabilidade muito boa, se usarmos a estocagem e a embalado adequado.

E são itens onde estes cuidados são bem menos complexos. Neste link você pode ver, por exemplo, como o chimarrão pode ser produzido e armazenado de forma eficiente.

Recomendação 5: muito cuidado com alimentos prontos e de consumo imediato

Neste caso, estamos falando de pizzas e lanches, e a forma de entrega é fundamental para que eles cheguem o mais fresco possível nos clientes.

É recomendado que o mapeamento das regiões a ser atendidas seja muito criterioso, para não incluir áreas distantes e com trânsito difícil – e risco de perda de qualidade.

 

Como podemos ver, vender produtos perecíveis pela Internet pode ser muito rentável – é um setor que nunca deixa de ter mercado – mas exige cuidados especiais para ser bem sucedido.

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *